Cruzeiros 2014: Fernando de Noronha tem apenas um navio de cruzeiro

Escrito por: -

Fernando de Noronha: destino procurado o ano inteiro
 
Atualmente, apenas uma empresa está realizando cruzeiros para o arquipélago de Fernando de Noronha, no Nordeste do Brasil. A temporada 2013/2014 vai começar no dia 28 de novembro e segue até 30 de março do ano que vem. O navio que fará as viagens é o Louis Aura, com capacidade para até 700 passageiros, segundo informações da BCR-Brazilian Cruises Representation, empresa responsável pela operação. Serão 21 escalas na ilha e os cruzeiros partirão do Recife, Natal, Fortaleza e João Pessoa.
 
A previsão dos organizadores é transportar entre 14 e 16 mil turistas e os pacotes já estão sendo vendidos. Pela primeira vez, em 23 anos, os cruzeiros não foram realizados para ilha nesta temporada 2012/2013.
 
Segundo o empresário Milton Sanches, operador dos navios, foram vários problemas que impossibilitaram as viagens no final do ano passado e início deste ano, como a dificuldades para identificação de uma embarcação compatível, entre outros fatores.
 
O navio Louis Aura trabalha com o sistema semi-incluído, ou seja, apenas as bebidas (água, refrigerante, cerveja, suco e vinho) estão inclusas durante as principais refeições servidas. Os passageiros precisam pagar pela alimentação. Os pacotes são vendidos também pela CVC, entre outras empresas. O navio visitará Recife (PE), Fortaleza (CE), Natal (RN) e Cabedelo (PB) durante o verão 2013/2014, além de ser o único autorizado a aportar em Noronha.
 

 
O transatlântico de quase 16 mil toneladas impressiona seus passageiros, assim como a extensa programação durante todo o dia.
 
O navio conta com spa, academia, piscinas, solarium, mini golf, lojas, salão de beleza, discoteca, biblioteca e cassino, entre outras atrações para o viajante.
 

Quanto ao preço dos cruzeiros para Noronha, viajantes andam reclamando que a falta de concorrência (apenas uma empresa está realizando cruzeiros para Noronha, por quê??) está elevando os preços, e que quem perde é o viajante, por falta de opções. Realmente, se contássemos com pelo menos três empresas realizando viagens para o destino, acho que poderia ser possível aproveitar condições mais vantajosas para o turista.

 

Com informações do G1

 

Votar no artigo:
Nenhum voto. Seja você o primeiro!